“Two Novels: Gaze / In the Cochlea” reviewed by Blitz

(…) Kaffe Matthews, DJ Olive e Ikue Mori, entre outros, colaboram em faixas de Gaze. Estão lá, mas invisíveis. Contudo, são presenças essenciais, porque é essencial este processo de falsa neutralização. Note-se que os nomes se mantêm, assim como o da própria o.blaat, porque à invisibilidade está inerente a presença. Gaze é, portanto, um conjunto de reflexões informais sobre modos de o som se fingir estéril. Numa primeira abordagem pode parecer difícil, mas a persistência traz compensações – é só reordenar a ordem de fruição dos sentidos.

Sérgio Gomes da Costa

This entry was posted in Reviews and tagged , . Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Post a Comment

You must be logged in to post a comment.

  • Tags

  • Categories

  • Archives